VMAs 2015: o aftermath

As minhas expectativas estavam baixas mas não tem como negar que o MTV Video Music Awards, exibido no domingo, cumpriu sua função: dar o que falar. E, claro, alguns personagens — figurinhas carimbadas do mundo pop — foram vitais para fazer isso acontecer.

Miley Cyrus

Quando a MTV escolheu Miley, uma das maiores e mais polêmicas estrelas da sua geração, para apresentar a cerimônia, o objetivo era claro: causar. Mas, na hora H, Cyrus estava nervosa e até contida (para os seus padrões). Claro que, essa leve acanhamento não impediu com que ela se transformasse em trending topic em todas as redes sociais; manchete em todos os sites de celebridade e tema de centenas de think pieces.

Os destaques do hosting stint de Miley foram suas dezenas de trocas de roupa, cada uma mais bizarra e reveladora que a outra (que é como a gente gosta, né?); o fato dela ter pago peitinho (só eu fiquei chocado que demorou até o penúltimo bloco para isso acontecer?) e, claro, o grand finale em que ela cantou uma música sobre como ela amava maconha e paz enquanto circundada por dezenas de drag queens (todas do RuPaul’s Drag Race) dançando efusivamente.

A surpresa final foi o anuncio de que a música era parte do novo CD dela, feito em colaboração com Wayne Coyne (dos Flaming Lips), que foi imediatamente disponibilizado na internet (de maneira gratuita pois Miley é #anarquista). O álbum, alias, se chama Miley Cyrus & her Dead Petz, uma homenagem bastante excêntrica a Floyd, seu cachorro husky que morreu no começo do ano passado.

Nicki Minaj

Mais de um mês antes da premiação, o fato de Anaconda não ter sido indicado a categoria principal, Melhor Vídeo, fez com que Minaj soltasse o verbo no Twitter e se envolvesse numa briga com Taylor Swift. Como agradecimento pela free publicity, a MTV deu a ela o opening slot e, além de cantar Trini Dem Girls, Minaj surpreendeu todo mundo (sqn) ao chamar Swift para dividir o palco com ela. Junto com Minaj, Taylor cantou The Night Is Still Young antes de encerrar com o refrão do seu girl fight anthem Bad Blood (num playback descarado).

(Veja a apresentação de Nicki aqui)

Mas o grande momento de Minaj foi, sem duvida nenhuma, quando ela ganhou o Prêmio  de Melhor Vídeo de Hip-Hop e encerrou seu discurso dando uma forte cutucada em Miley que, alguns dias antes, tinha falado mal da rapper para o New York Times. Muito se debateu na internet se a cena foi planejada ou não mas, no final das contas, o momento te pego lá fora de Minaj foi considerado por muitos como o ponto alto da premiação (e a suposta reação de Miley, que não foi ao ar na TV, viralizou na web. A reação real foi um pouco menos over the top).

Taylor Swift

vma

No mundo moderno, a população global está dividida em dois grupos: aqueles que amam Taylor, acham suas dançinhas em award shows uma graça; adoram que ela ama e é grande fã de todo mundo e sonham em formar parte do seu grupo de amigas (formado por atrizes e modelos lindas e em ascenção. Mas nenhuma tão famosa quanto ela, óbvio) e os que acham ela uma falsa insuportável e que não aguentam nada disso. A premiação de domingo proporcionou muitos momentos para deixar as emoções dos dois grupos a flor da pele.

Swift chegou acompanhada de grande parte do seu squad de amigas e co-estrelas do vídeo de Bad Blood (Selena Gomez; as atrizes Hailee Steinsfeld, Mariska Hargitay e Serayah; as top models Karlie Kloss, Gigi Hadid, Cara DeLavigne, Martha Hunt e Lily Aldrige). Apesar de muitas das garotas terem carreiras bastante badaladas, nenhuma delas parecia estar incomodada de estar lá apenas como um step para Taylor já que nenhuma tinha uma verdadeira função ao longo da premiação. Se isso é amizade verdadeira ou uma oportunidade de auto-promoção fica a critério de cada um.

No pré-show, Swift estreou seu novo vídeo, Wildest Dreams. Na cerimônia principal, ela foi convidada surpresa de Nicki Minaj; dançou na platéia animadamente ao som de todo mundo e apresentou a homenagem a Kanye, colocando um ponto final no conflito público entre os dois que começou a seis anos atrás, no mesmíssimo VMA. E, claro, ela ganhou todas as categorias, incluindo o prêmio principal, Vídeo do Ano. Ela subiu para agradecer o prêmio com toda sua trupe de bffs (que, como boas amigas, ficaram caladinhas atrás dela enquanto ela agradecia efusivamente aos fãs, ao diretor, as migas e a Kendrick Lamar).

Kanye West

mtv

Kanye é outro celebre personagem dos VMAs, tendo não só contribuído com apresentações memoráveis como também com um dos momentos mais infames da história da premiação. Tudo isso, somado ao fato de que ele é um dos rappers mais influentes da história, faz com que a homenagem que ele recebeu pareça bastante lógica (como o próprio Kanye provavelmente diria, MTV, você não fez nada além da sua obrigação). O prêmio, claro, foi apresentado por Swift, que se declarou uma gigantesca fã e colocou, publicamente, um ponto final em qualquer tipo de ressentimento que poderia existir entre os dois.

In true Taylor fashion, ela fez o discurso de apresentação girar totalmente em torno dela e não dele. E in true Kanye fashion, ele subiu ao palco, ouviu — em total silêncio — o público o aplaudir efusivamente por dois minutos, antes de lançar-se numa diatribe de dez minutos no qual ele admitiu fumar unzinho para se acalmar e debateu sobre fama, artistry e a importância de ser true to yourself. Teve quem achou inspirador; teve quem achou egomaniaco; teve quem achou divertido; teve quem achou boring; teve quem achou todas as opções acima (eu). O discurso culminou com ele anunciado sua pré-candidatura as eleições presidenciais de 2020. O público, claro, foi a loucura.

Justin Bieber

vma

Bieber tirou uns anos de folga da música para se dedicar a arte de fazer com que todo mundo no universo o odiasse. Mas parece que ele cansou dessa vida e quer voltar a sua carreira original de popstar. E que lugar melhor para um comeback do que o palco do VMA, né?

Biebs já chegou causando com seu novo penteado. Mais tarde, ele apresentou, pela primeira vez, o seu novo single, What Do You Mean, primeira música solo que ele lança em três anos. A apresentação foi bem feita e ajudou a catapultar a música para o primeiro lugar do iTunes e do Spotify. Mas o momento mais bizarro foi quando ele se ajoelhou no chão e começou a chorar.

OK Biebs, a mensagem de que você sente muito e que devemos voltar a te amar e comprar seus produtos ficou bem clara. Teria sido melhor se alguma lagrima de fato tivesse caído mas tudo bem, o que vale é a intenção…

Tori Kelly

No post anterior, eu disse que Tori Kelly era uma Zé Ninguém (não menti) e que ela só conseguiu um espaço para se apresentar porque ela tem uma equipe fantástica e poderosa por detrás, porque hit que é bom ela não tem (#sóverdades). Mas, justiça seja feita, a apresentação dela foi um dos pontos altos da noite. Ela fez aquela tipica performance sem muita produção e que foca na potencial vocal e o truque parece ter colado pois ela não só foi aplaudida de pé como o single que ela estava promovendo, Should’ve Been Us, foi catapultado para o top 10 do iTunes. Ao que tudo indica, a performance foi o empurrãozinho que ela precisava para finalmente alcançar o top 50 da Billboard. Well done, Tori!

No mais….

No mais, dados prévios de audiência indicam que a premiação foi vista por 9.8 milhões de espectadores. Foi uma queda de 500 mil espectadores em relação ao ano passado mas foi uma diminuição pequena se comparado ao mais de 1 milhão que a cerimônia perdeu entre 2013 e 2014. Por outro lado, os VMAs desse ano foram o programa de TV não-esportivo que mais gerou tweets na história e também foi a premiação mais vista do ano entre espectadores de 12 a 34 anos, o público principal da MTV.

No momento, canções que tiveram apresentações no VMA ocupam seis posições dentre as dez músicas mais compradas no iTunes estado-unidense. What Do You Mean? de Justin Bieber encabeça a lista, desbancando Can’t Feel My Face de The Weeknd que ocupou a primeira posição ao longo de todo o mês de agosto. Outra música do rapper, The Hills, que não foi promovida nos VMAs, ocupa a terceira posição. O lançamento do vídeo de Wildest Dreams catapultou a música a quarta posição, mostrando o poder impressionante de Swift (a essa altura, o álbum, 1989, já vendeu mais de 5 milhões de unidades nos EUA). O novo single de Macklemore & Ryan Lewis, Downtown, estréia na sexta posição enquanto a apresentação de Tori Kelly fez com que ela penetrasse o top 10, com Should’ve Been Us ocupando a sétima posição. A apresentação de Demi Lovato também catapultou Cool for the Summer de volta para o top 10 e o single está no momento no oitavo lugar.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s